Lê, e então?

Perfeitamente imperfeitos

Já te disse como és perfeito?  A forma como o teu sorriso chega primeiro aos teus olhos, antes de dares uma gargalhada. A forma como me olhas de lado e semicerras os olhos quando digo um disparate. Como eles se começam lentamente a fechar no lusco-fusco do sono.  Já te disse como és perfeito? A …

Continue Reading
Vaidosas, e então?

Coisas de Maria Rapaz

Tenho saltos agulha que uso cada vez menos: fazem-me ter 1,80, dores nos pés e odeio conduzir com eles. Tenho ténis bota, de cores a perder de vista; tenho botas de cano alto, esquecidas numas caixas; tenho sandálias e havaianas, que odeio mas preciso. E tenho as minhas meninas! Uma colecção de botas da tropa …

Continue Reading
Vaidosas, e então?

Com a moda às costas

Ela é vaidosa e gosta de estar sempre apresentável  e não sai de casa de cara lavada. Ela conjuga sempre as cores e os modelos, dos cintos, malas e sapatos. Ela é ela quando calça ténis ou quando usa uns saltos agulha. Ela é ela quando está de mochila ou de mala à tiracolo. Na verdade ela adora malas, …

Continue Reading
Lê, e então?

Quarenta bem medidos

Quarentona? Acabada? Velha?? Não, nem pensar! São 40 bem vividos, são até mais do que isso: são quarenta bem medidos. Quarentona? Não! O que eu tenho são histórias, momentos, vidas, pessoas e memórias. Já me disseram que, a partir dos 40, a ampulheta começa a ter mais areia em baixo do que em cima, porque a …

Continue Reading
Lê, e então?

Olha com olhos de amor

Olha para tudo o que vês com atenção e amor. Olha à tua volta e espanta-te com o que podes aprender. Olha ao teu redor com respeito por quem passa a correr. Dá importância aos pormenores que te acompanham e as diferenças de cada um. Pelo caminho não pises nenhum. Olha para tudo o que …

Continue Reading
Lê, e então?

Já vestiste amor hoje?

Despe-te. Despe-te do que não gostas. Despe-te do que te faz mal e prejudica. Despe-te do que te faz perder conquistas. Despe-te.  Despe-te. Despe-te de quem te afoga nas suas amarguras. De quem te faz ser uma pessoa pior. De quem não te deixa ser o teu melhor. Despe-te. Despe-te. Despe-te de preconceitos e juízos …

Continue Reading
Lê, e então?

Sabes para onde vais?

Sabes onde queres chegar? Onde queres ganhar raízes e crescer? Sabes onde queres permanecer? Sabes onde te dirigir? Sabes, ao menos, qual o caminho por onde deves seguir? Qual a estrada que deves tomar ou atalho que podes encontrar? Qual o mapa que deves transportar? Sabes quem te espera lá no teu sítio? Quem queres …

Continue Reading
Lê, e então?

Ao mesmo tempo

Deitem-se sempre ao mesmo tempo. Um ampara o outro. Um empurra e apaga a luz, enquanto o outro já vai de olhos fechados. Cheguem e enrosquem-se. Embalem-se no adormecer do outro. Comam ao mesmo tempo. Sentados à mesa, sem televisão ou telemóvel por perto. Falem de vocês, do dia, dos amigos, de projectos ou do …

Continue Reading
Lê, e então?

Não faças planos para a vida

Os melhores dias não são feitos de planos. São feitos de surpresas inusitadas. São feitos ao sabor do vento e saídas repentinas. São feitos de chegadas não esperadas. Os melhores dias são feitos de repente. Não são pensados ou traçados. São de sair sem destino e sem mala arrumada. São dias longos e cheios de …

Continue Reading
Lê, e então?

Todo o tempo do mundo

Tempo perdido. Tempo gasto. Minutos que se amontoam. Horas que se acumulam. Dias que passam. Meses que não regressam. E então? Eu gosto de todo este tempo perdido e gasto. Tempo perdido em vagarosidades perfeitas e tempo gasto em lentidões descomplicadas. Tempo vivido e já usado. Tempo que se acumula já passado. Tempo que existe …

Continue Reading