Lê, e então?

Razões que nem a razão conhece.

Há razões que nem a razão conhece. Razões sem razão, sem desculpa ou explicação. Razões sem paixão e razões sem permissão. Razões com disputa e razões sem desculpa. Razões.

Há razões que a razão não conhece, que chegam sem aviso ou antecipação. Que são só porque sim ou porque não. Razões efémeras que se tornam eternas. Razões frias e vazias. A quente e em nada prudentes. Razões. 

Há razões que nem a razão quer conhecer. Razões de conveniência sem qualquer decência. Razões fingidas que são impingidas. De fantasia com cheiro de hipocrisia. Razões.

Há razões que a razão entristece. Que entorpecem e adormecem. Que nos roubam o sono e a paz. Que em nós ecoam e nos deixam ficar para trás. Razões.

Há razões que nem a razão conhece. 

Rita. E Então?

Já nos segues nas redes Sociais? Deixa-nos o teu like para sabermos que aqui estiveste!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *