Lê, e então?

Onde vais tu por amor?

Quando gosto, dou tudo de mim. Faço os maiores disparates por quem me é importante. Quando amo, vou ao fim do mundo. Quando acho que me merecem, o meu muro desfaz-se. As minhas guardas desaparecem. As minhas precauções não existem. Dou-me a mim. Dou o meu tempo e perco todas as minhas defesas.

Quando amo, espero ser amada com a mesma intensidade, urgência e querer. Espero que os disparates sejam de parte a parte. Que as cedências sejam naturais e de ambos os lados. Só porque sim, só porque fazem sentido e apetecem. Quando amo só quero tudo.

Hoje, não sei ser de outra forma.

Quando amo, vou ao fim do mundo. Não posso tolerar que, por mim, não venham ao fundo da rua.

Rita Leston. E Então?

Já nos segues nas redes Sociais? Deixa-nos o teu like para sabermos que aqui estiveste!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *