Lê, e então?

11 de Setembro de 2001

Eu? Numa época ainda de férias eu estava a trabalhar e eram quase horas de almoço. Não tínhamos televisões por perto e a Internet era uma coisa que eu ainda só tinha em casa.

Colámo-nos ao rádio a ouvir as notícias e quem vinha para ser atendido, ficava colado connosco num silêncio misto de incredulidade e de quem não percebe bem o que está a acontecer, perguntando do fundo do balcão se sabíamos dizer mais alguma coisa.

Sei de cor o que tinha vestido, uma longa saia de ganga quase a roçar o chão e uma t-shirt preta e que corte de cabelo tinha. Futilidades. Sei exactamente quem estava ao meu lado.

Sei que, pelas 17 horas corri para casa – sei de cor que carro tinha, como estava a sala mobilada e que televisão era – para me colar à televisão e às notícias e só aí percebi a verdadeira dimensão do que tinha acontecido. Só a imagem me fez entender o verdadeiro terror daquele dia, só aquelas imagens, repetidas até à exaustão, me permitiram assimilar um pouco do que aconteceu. Só assim todo aquele pó, todas aquelas lágrimas, todo aquele desespero, ganharam uma face. Há imagens que tenho gravadas como se fossem de hoje e que se tornaram verdadeiros ícones daquele dia.

Sei de cor aquele dia. Sei como me senti e como se sentiram os meus e ainda me arrepia.
Sei que o mundo mudou mesmo nesse dia.
E sei que chorei. Muito.

Rita Leston. E então?

Já nos segues nas redes Sociais? Deixa-nos o teu like para sabermos que aqui estiveste!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *