Lê, e então?

Amor de um outro Mundo

Faz do teu amor, todos os dias, algo de especial. Faz do teu amor, todos os dias, uma criança pequena que precisa de mimo e atenção. Faz do teu amor, todos os dias o jardim que tens de cuidar para florescer. Todos os dias. Faz do teu amor, todos os dias, algo que não podes …

Continue Reading
Lê, e então?

Oferece-te tempo

Hoje ofereceram-te tempo! Deram-te uma hora a mais no teu dia e tu passaste o tempo a dizer que o dia rendeu, que parecia mais tarde, que ainda tiveste tempo para algo a mais que não estava nos planos. E aposto, até, que chegaste ao sofá bem mais cedo do que o normal. Foi ou …

Continue Reading
Lê, e então?

Prometes?

Prometes que sonhas comigo? Que me tiras do pesadelo e me levas para o teu sonho calmo? Que me pegas na mão e me fazes saltar para dentro dele? Prometes que me envolves num abraço e que descansamos ali ao fundo naquele canto de almofadas? Que acendes a lua só para conseguir ver os teus …

Continue Reading
Lê, e então?

Sem porquês

Há pessoas que não sabemos porque as queremos por perto. Não sabemos o que vemos nelas. Sabemos só a maneira como nos transportam para lugares que mais ninguém consegue. Rita Leston. E Então? Já nos segues nas redes Sociais? Deixa-nos o teu like para sabermos que aqui estiveste!

Continue Reading
Lê, e então?

E no entretanto?

E no entretanto? No entretanto, vão-se passando os dias. Buscam-se alegrias nas coisas mais insignificantes. Procuram-se sorrisos e escondem-se tristezas. Ocupa-se o tempo e a mente. Trocam-se as voltas aos dias e o sentido às noites. Vive-se em (des)compasso de espera. Vive-se nas horas mortas e sobrevive-se no dia-a-dia. Enganamo-nos a nós e ludibriamos o …

Continue Reading
Lê, e então?

NÓS E O NADA

Nós apenas temos de estar. Apenas temos de ser. Apenas ali queremos  estar e ficar, sem deixar nada entrar. Nada mais importa do que apenas as nossas coisas nenhumas, repletas de nadas e plenas de tudo. Apenas queremos que nada nos incomode no nosso tudo. Que nada ponha em causa tudo o que é muito. Que …

Continue Reading
Lê, e então?

Aos 40, podemos!

Aos 40, deixamos de nos preocupar com o que não parece bem. Com o que não apetece ou que não nos convém. Com aquilo que devíamos fazer e não queremos. Com aquilo que já esquecemos. Nos 40, podemos. Aos 40, deixamos de dar importância ao que não importa. E a quem não se importa. Deixamos …

Continue Reading
Lê, e então?

Tu tens sorte. Valoriza.

Sorte de quem tem onde se enroscar à noite e de quem faça companhia até de manhã. De quem tem quem, mesmo a dormir, quem lhe passe um braço por cima sem sequer dar conta disso. De quem tem quem aqueça o outro lado da cama nas noites mais frias. Sorte de quem tem a …

Continue Reading