Lê, e então?

Hoje, poderia.

E, hoje, poderia ter sido assim. Buscando um pôr-do-sol contigo. Um fim de tarde que acalma o dia. O esperar pelas estrelas chegarem. Que a lua roubasse o lugar ao sol. O tal abraço teu que gosto de vestir. Poderia ter sido o vento na cara e a liberdade de ir. Poderia ter sido o …

Continue Reading
Lê, e então?

Dia 3, de isolamento social voluntário

Dia 3, de isolamento social voluntário. Listas! Faz uma lista – várias listas – do que precisas e do que te falta. E não estou a falar de pão ou de arroz. Organiza as tuas ideias. Pensa nas tuas prioridades. Averigua as tuas vontades. Faz listas. Faz um horário. Faz uma planificação do teu tempo …

Continue Reading
Lê, e então?

Dia 2, de isolamento social voluntário

Dia 2, de isolamento social voluntário. Vivo no mesmo prédio há cerca de 13 anos, entro pela garagem directa ao último andar e passam-se meses sem ver nenhum dos meus cerca de 20 vizinhos. Sei o nome de umas duas pessoas e, não fora as reuniões de condomínio, não conheceria a cara de mais de …

Continue Reading
Lê, e então?

Gostas de ti o suficiente?

Se nem tu gostas da tua própria companhia, não a imponhas aos outros. Se nem tu consegues estar sozinho contigo, durante uns míseros dias, é porque não tens estado a fazer a coisa certa. Se a tua casa não te é confortável o suficiente para te sentires em paz lá dentro, andaste a ter prioridades …

Continue Reading
Lê, e então?

Dia 1 de isolamento social voluntário

Dia 1, de isolamento social voluntário. Cria as tuas rotinas. Deita-te e acorda com horas marcadas. Embora queiras estar confortável, tira o pijama e põe-te de bem com o reflexo do teu espelho. Faz as refeições às horas normais. Organiza o teu dia e o teu tempo. Mantém ao máximo o teu dia ocupado para …

Continue Reading
Lê, e então?

E se?

E se a dúvida se instala, chega gostar?E se a confiança quebra, chega amar? Como remendar algo que se considerava intocável? Voltar a acreditar em alguém que traiu a nossa confiança cega, é-nos permitido? Conseguimos colocar em stand-by que hoje não acreditamos e esperar (re)construir algo em alicerces pantanosos? As desculpas saram o vazio da …

Continue Reading
Lê, e então?

Medos de nada

Vai com medo: mas vai na mesma.Vai com receio: mas não deixes de ir.Vai com medo: mas vai com tudo. É o medo que nos faz não fazer. É a dúvida que nos faz ficar. É o receio que nos acomoda. É o desconhecido que assusta. É o hábito que nos pára. Mas não tem …

Continue Reading
Lê, e então?

Olhos nos olhos

Os meus olhos tudo te dizem. Os meus olhos traduzem tudo aquilo que sinto. Do bom e do mau. Da alegria e da tristeza. O meu olhar é transparente para quem o sabe ler. Os meus olhos sussurram que te amo. Os meus olhos falam contigo. Os meus olhos dizem que te preciso. Os meus …

Continue Reading
Lê, e então?

Todos os dias.

Hoje. Ontem. amanhã e depois. Sem intervalos ou intermitências. Sem vou-ali-e-não-sei-bem-se-volto. Se estão à espera de dias marcados para mostrarem o vosso amor, não estão a fazer a coisa certa. Se só surpreendem o outro em datas marcadas, não estão a fazer o que é preciso. Se só hoje vêem corações e abracinhos, lamento, mas …

Continue Reading
Lê, e então?

Toma conta de mim

Gosto que cuides de mim. Eu sei, eu sei, sou a perfeita demonstração da mulher desembaraçada, desenrascada, independente e que tudo sabe! Mas gosto que cuides de mim! Gosto que me perguntes como foi o meu dia. Gosto que me chateies o juízo porque saí sem casaco uma vez mais. Que tenhas de despejar o …

Continue Reading