Lê, e então?

Metades de mim

Assim sou eu. Metade miúda rebelde e inconformada. Metade senhora que já sabe o que quer. Metade que brinca pela vida de cara lavada, que se diverte, que faz disparates e tropelias, que ri até não conseguir mais. Que quer colo até mais não. Metade crescida e responsável. Ajuizada, calma e ponderada. Sensata e confiável. …

Continue Reading
Lê, e então?

O que te faz estar vivo?

E o que é que, hoje, te faz estar vivo? O que é que te acelera, hoje, o coração? O que, agora neste preciso momento, te dá vontade de correr e agarrar? Sabes? Lembras-te do que é uma vontade urgente? O que é que, hoje, te faz correr o sangue nas veias? O que é …

Continue Reading
Lê, e então?

Tempos modernos?

Há alturas em que não me sinto deste tempo. Onde tudo é descartável e fácil. Onde se coloca no lixo aquilo com o qual não nos apetece lidar. Onde não é necessário empenharmo-nos no que dá trabalho, pois do outro lado da rua se encontra com facilidade uma outra opção disponível e menos trabalhosa. Que …

Continue Reading
Lê, e então?

Que seja O ano

Que o vosso ano seja cheio de mil coisas boas, de mil coisas que vos façam sorrir, de mil conquistas e de mil desafios ultrapassados. Que seja feito de mil sonhos sonhados e alcançados. De mil certezas e planos. De mil passeios e de mil descansos. De mil pedidos e de mil desabafos. Que seja …

Continue Reading
Lê, e então?

O tempo certo

Nunca fui paciente. Quando quero, costumo querer logo. A minha paciência é limitada e o meu interesse precisa de ser acalentado. Quero tudo. Agora. E já. Não era paciente. Nunca soube esperar. Sempre corri pelos dias sem dar muito tempo para a vida decidir por mim. Sempre fui de decisões rápidas e, nem sempre, reflectidas. …

Continue Reading
Lê, e então?

Se eu fechar os olhos

Se eu fechar os olhos, consigo ver a tua face. Se eu fechar os olhos, consigo ver o brilho dos teus olhos perto dos meus. Se eu fechar os olhos, consigo encostar a minha testa na tua e assim permanecer enquanto sinto o teu abraço chegar. Se eu fechar os olhos, consigo sentir o teu …

Continue Reading
Lê, e então?

Sim. Sem senão.

Não me mostres as estrelas, se não pretendes abrigar-me da noite. Não me envolvas nos teus braços, se não tencionas proteger-me do mundo. Não me questiones, se não queres ouvir-me sem fim. Não me roubes o chão, se não vais ficar para me agarrar. Não me dês paz, se me vais deixar numa guerra.Não me …

Continue Reading
Lê, e então?

O vosso Natal, já está pronto?

Então? O Natal já está todo embrulhado? Já foi distribuído e colocado debaixo da árvore? Já foi todo frito e passado por açúcar e canela? Já foi telefonado, mandado mensagem ou conseguiu ser em pessoa? E vai ser com grão ou com couves? O vosso Natal? Está prontinho a começar? Seja ele cheio de gente …

Continue Reading
Lê, e então?

E tu? Sabes pedir ajuda?

Sabes que não és o máximo em tudo? Sabes que não tens de conseguir ser a melhor? Que não tens de conseguir chegar a todos os objectivos? Que não tens sempre de superar as tuas metas, muito menos as dos outros? Que não tens de saber tudo ou conseguir fazer tudo sozinha? Sabes que podes …

Continue Reading
Lê, e então?

(in)Definição de saudade

Definir saudade? Não consigo. É dos sentimentos mais avassaladores que existem. Como se descreve o vazio? O silêncio? A ausência? O pedaço de nós que se ausentou? Saudades não é só sentir falta de alguém. É sentir a falta de alguém em nós. Dentro de nós. É ter saudades de nós com alguém. É o …

Continue Reading