Lê, e então?

Preciso de ti

Sou de paixões violentas e de amores calmos. Tudo ao mesmo tempo! E com a mesma pessoa! Não sei ter só um amor confortável de bom, preciso que as borboletas na barriga não se calem. Preciso de ter o conforto do ombro amigo e a urgência de um beijo que não pode esperar. Preciso de …

Continue Reading
Lê, e então?

De onde vem o amor?

Cada vez mais acho que o amor vem de onde menos se espera. Que vem de um sítio tranquilo e estável e não de uma correria desenfreada que tão depressa como começa, acaba. Que vem de um sítio que nos ampara e acarinha e que nos pergunta como estamos. Que vem de um sítio em …

Continue Reading
Lê, e então?

Onde vais tu por amor?

Quando gosto, dou tudo de mim. Faço os maiores disparates por quem me é importante. Quando amo, vou ao fim do mundo. Quando acho que me merecem, o meu muro desfaz-se. As minhas guardas desaparecem. As minhas precauções não existem. Dou-me a mim. Dou o meu tempo e perco todas as minhas defesas. Quando amo, …

Continue Reading
Lê, e então?

Eu também

“Amo-te. Quero-te. Preciso-te. Fazes-me falta. Tenho saudades tuas. Gosto de ti.” E um “eu também” ouvido de volta. Um “eu também” que não é automático, nem entre dentes. Um “eu também” sentido e pleno de amor. Um “eu também” que podia ser um “amo-te” que nos apanha desprevenidos. Um “eu também” onde cabe tudo. O …

Continue Reading
Lê, e então?

Tudo contigo

Quero dormir num abraço. Quero acordar num beijo. Quero passeios de fim-de-semana. Quero mãos dadas, passeios na praia e rebolar na areia. Quero ver o pôr-do-sol ao fundo, quero a lua como companhia e contar estrelas contigo. Quero jantaradas de amigos. Quero discutir o que fazer para o jantar. Quero sofá contigo. Quero cama contigo. …

Continue Reading
Lê, e então?

Amor e Reciprocidade

Amamo-nos na mesma linguagem. O nosso amor conversa e entende-se um com o outro. Quando um chama, o outro está. Quando um sente a falta, o outro corre. Quando um quer, o outro vai. Amamo-nos na mesma língua. A nossa paixão usa as mesmas palavras. Sabe de cor os mesmos sentidos. A nossa paixão tem …

Continue Reading
Lê, e então?

Devagar se chega ao lugar certo

Demoro a gostar. Demoro a perceber. Demoro a desmoronar muros e desconstruir protecções. Demoro ainda mais a dar a entender. Demoro a fazer-me perceber. Demoro a dar-me e a querer receber. Demoro. Mas quando decido, quando entendo, sei o que quero. E onde pretendo chegar. Viro-me do avesso e assusto pela segurança e certeza. E …

Continue Reading
Lê, e então?

Fazes-me falta

Consegues adivinhar o quanto sinto a tua ausência? Perceber das minha palavras a falta que me fazes todos os dias? Que me faltas nas pequenas coisas: quando acordo e o bom dia não existe; quando, apesar de ter um sorriso para te entregar, não estás para o ver; quando tenho de decidir o que fazer …

Continue Reading
Lê, e então?

Beijo(-te) sempre!

Gosto dos teus beijos! Gosto de todos os teus beijos, sem excepção. Dos recatadamente longos e dos pudicamente de fugida. Dos de acordar e dos de boa noite. Dos molhados bem dispostos e dos abruptamente secos. No pescoço, na face ou nos lábios. Dos bem dispostos e dos de birra. Às claras ou de olhos fechados. …

Continue Reading
Lê, e então?

Dia Internacional do Beijo – 13 de Abril

E é isto que é difícil: sentir que nos beijam a alma. Sentir que alguém se dá a esse trabalho. Que se empenha para chegar onde outros não chegam. Que quer de nós precisamente aquilo que não vê, mas aquilo que sente que somos. Que nos quer: por inteiro. Beijar alguém é fácil. É um …

Continue Reading