Lê, e então?

Dizes-me?

Tenho uma dúvida: eu faço-te falta? Sou-te importante? A minha presença muda algo no teu dia? A minha ausência incomoda-te ou nem dás por ela? Sorris quando pensas em nós? Irritas-te quando eu te ignoro? Viras o mundo do avesso se te desapareço? Amas-me quando te falto? Afinal, tenho várias dúvidas. Tenho perguntas para as …

Continue Reading
Lê, e então?

Hoje, tenho saudades.

Hoje, tenho saudades tuas. Hoje, tenho saudades de que olhes para mim. Saudades de que gostes de mim. Saudades do teu riso e da tua voz. Dos teus olhos e das tuas mãos. Hoje, tenho saudades do que não tocaste. Saudades daquilo que não fomos. Saudades do que poderíamos ter sido. Hoje, tenho saudades de …

Continue Reading
Lê, e então?

O que fazes com as saudades?

Diz-me o que fazes com as saudades.  Conta-me: divides as saudades pelo teu dia ou sentes todas de uma vez? De dia ou de noite? Quando é que as saudades te entram mais pelo peito? Depois de um dia de trabalho, quando começas a relaxar? Ou logo pela manhã, antes do dia começar?São saudades a …

Continue Reading
Lê, e então?

Onde vais tu por amor?

Quando gosto, dou tudo de mim. Faço os maiores disparates por quem me é importante. Quando amo, vou ao fim do mundo. Quando acho que me merecem, o meu muro desfaz-se. As minhas guardas desaparecem. As minhas precauções não existem. Dou-me a mim. Dou o meu tempo e perco todas as minhas defesas. Quando amo, …

Continue Reading
Lê, e então?

A saudade tem hora marcada

E é esta a hora certa. O barulho foge e o silêncio impõe-se. O frio da noite instala-se na ausência. A mente acorda enquanto o corpo entorpece. Os olhos fecham-se e o sorriso já não precisa de estar. O abraço que não aquece e o vazio que não adormece. E é esta a hora certa. …

Continue Reading
Lê, e então?

Fazes-me falta

Consegues adivinhar o quanto sinto a tua ausência? Perceber das minha palavras a falta que me fazes todos os dias? Que me faltas nas pequenas coisas: quando acordo e o bom dia não existe; quando, apesar de ter um sorriso para te entregar, não estás para o ver; quando tenho de decidir o que fazer …

Continue Reading
Lê, e então?

O amor é uma coisa estranha

O amor também é uma coisa estranha. O amor forte raramente é fácil. Faz-nos muitas vezes dar voltas que nunca pensámos. Coloca-nos em caminhos que não achámos possíveis. Sinuosos e difíceis de percorrer. Faz-nos, muitas vezes, ter medo do que vem a seguir. Faz-nos pensar e questionar muito daquilo que tínhamos como adquirido. Faz-nos tomar …

Continue Reading
Lê, e então?

A saudade tem fim?

Hoje, tenho ainda mais saudades tuas do que ontem. Hoje, a tua falta irrompe-se-me pelo peito. Como se o coração quisesse sair de aqui de dentro e ir sozinho à tua procura. Como se sentisse um grito imenso que quer acordar o mundo, mas que quando passa a garganta se torna num murmúrio lento. Hoje …

Continue Reading
Lê, e então?

O rescaldo do depois

E depois? Depois, fica o cheiro que se entranha mesmo que se passe depressa. Depois, fica uma paisagem pintada a tons de negro, sem o verde que lhe foi roubado. Depois, ficam as vozes de comando de quem ainda trabalha que se ouvem ao longe. Ficam árvores caídas. Ficam cabos no chão. Ficam paredes chamuscadas. …

Continue Reading
Lê, e então?

Com porquês não se discute

Não discutas com os porquês. É como tentar obter resposta num livro sem letras. É tentar buscar razões à razão que não conheces. É alimentar um fogo sem fome ou dar asas ao que não quer ser imaginado.  Porquê? Porque sim e segue em frente. Porque tinha de ser e nada mais. Sem buscas elaboradas …

Continue Reading